• acessorios
  • alimentacao
  • artes-plasticas
  • barro
  • bijuterias
  • biojoias
  • bordados
  • calacados
  • cama-mesa-banho
  • ceramica
  • couro
  • reggae
  • decoracao
  • enxovais
  • flores
  • lembranca
  • madeira
  • musica
  • pedras
  • pinturas

banner-publicidade3

Administração de Brasília, Agência Sanitária e feirantes da torre se reúnem para debater venda de alimentos no local

3e90415866f70e86c9c79cbfa6d48a93 M

Os feirantes da Torre de TV se reuniram, na manhã desta sexta-feira (24), na Administração de Brasília com o diretor Sebastião Ribeiro e representantes da Vigilância Sanitária, quando debateram a questão envolvendo a venda de alimentos na área.

O principal foco é a proibição da manipulação de alimentos em grande quantidade, como acontecia na antiga feira e que a partir de agora está proibida. A permissão será apenas para comida típica e artesanato, desde que não impliquem em ocupação de áreas que não possam manter a higiene e qualidade.

Sebastião Ribeiro esclareceu que a feira atual não pode ser comparada com a anterior em razão do tamanho dos boxes, que são fechados e não permitem restaurantes self service por não haver acondicionamento adequado, o que pode colocar em risco a saúde dos usuários.

“Aqueles restaurantes e até churrascarias não cabem no formato da nova feira,” disse o diretor da Administração de Brasília.

Foi dado um prazo de quinze dias para os concessionários se adequarem às normas, podendo neste prazo, vender o prato feito. Os trinta feirantes deverão apresentar projeto de adequação com a descrição das comidas típicas que comercializarão à Vigilância Sanitária, evitando assim a interdição dos boxes.

Participaram da reunião André Godoy, gerente de alimentos da vigilância à saúde, Alex Morais, representante dos concessionários da feira, Daniel Lima, chefe de fiscalização da vigilância sanitária.

Julianna Caetano Cardoso